Desembargador recebe voz de prisão de advogado em Minas Gerais

Um advogado deu voz de prisão para um desembargador que tentou tirá-lo de um julgamento realizado na quarta-feira, 21, no Tribunal Regional do Trabalho 3ª Região, em Minas Gerais.

A sessão foi transmitida online e, após 25 minutos de julgamento, o advogado Tiago Jonas Aquino e o desembargador Milton Vasques Thibau de Almeida se desentenderam e começaram a bater boca.

O desembargador ordenou, então, que o advogado se retirasse do plenário. Além de se recusar a sair, Tiago Jonas Aquino ainda deu voz de prisão em flagrante ao presidente da Corte por desacato.

A briga ocorreu após ser negado o direito ao advogado de fazer uma nova sustentação oral, já que Milton Vasques Thibau de Almeida decidiu mudar seu voto, o que irritou o defensor.

Diante da briga, a Polícia Federal foi chamada para retirar o advogado do local e os desembargadores decidiram suspender a sessão.

Entenda

A briga toda começou porque o desembargador Milton Vasques mudou o voto na questão julgada e, diante disso, o advogado Jonas Aquino pediu para fazer uma nova sustentação oral, o que foi negado.

A possibilidade de voz de prisão em flagrante é prevista no artigo 301 do Código de Processo Penal (CPP), que diz: “qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito”.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  •  

    Editor:  MTB 735
    Contato: jornalismo@rededenoticias.net.br

  • ×