Sábado, 24 de Fevereiro de 2024
°C °C

HPV já é a terceira causa de câncer de colo de útero

Prevenção ainda é a melhor forma de evitar a doença, que pode levar à morte

04/01/2024 às 07h19 Atualizada em 04/01/2024 às 07h41
Por: Redação
Compartilhe:
A médica oncologista Virgínia Altoé Sessa explicou que o exame preventivo, conhecido como Papanicolau, é o principal procedimento de rastreio que permite o diagnóstico da doença.
A médica oncologista Virgínia Altoé Sessa explicou que o exame preventivo, conhecido como Papanicolau, é o principal procedimento de rastreio que permite o diagnóstico da doença.

O câncer de colo de útero é a terceira neoplasia maligna mais incidente na população feminina. Neste mês, acontece a campanha Janeiro Verde, voltada para a conscientização e prevenção da doença.

Um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento desse tumor maligno é a infecção por alguns tipos do HPV, o papilomavírus humano. Na maior parte dos casos, o HPV não provoca câncer de colo de útero, mas algumas alterações celulares que ocorrem em decorrência dessa infecção podem evoluir para a neoplasia maligna.

A médica oncologista Virgínia Altoé Sessa explicou que o exame preventivo, conhecido como Papanicolau, é o principal procedimento de rastreio que permite o diagnóstico da doença. Por isso, é fundamental que seja feito regularmente, pelo menos uma vez ao ano.

“O preventivo é capaz, inclusive, de detectar lesões pré-cancerígenas, que, ao serem identificadas, podem ser retiradas antes de se tornarem malignas. E também consegue diagnosticar a doença em sua fase inicial, o que aumenta bastante as chances de cura”, esclareceu.

Vacina contra HPV está disponível na rede pública de Saúde

 

Além do exame que detecta a doença, o câncer de colo de útero  pode ser evitado por meio de uso de preservativo durante as relações sexuais, vacinação contra HPV, para meninas e meninos de 9 a 14 anos, pelo SUS.

Em sua fase inicial, a neoplasia pode não apresentar sintomas, mas quando avança a paciente pode sentir dores abdominais intensas, sangramento vaginal intermitente ou após a relação sexual.
Novo tratamento da doença é o maior avanço em 20 anos

Um novo tratamento contra o câncer de colo de útero já é considerado o maior avanço em 20 anos de estudos sobe a doença. A solução consiste em um conjunto de medicamentos já disponíveis no mercado farmacêutico, utilizados antes da radioterapia.

Resultados de estudos revelados na conferência médica ESMO, que aconteceu na Espanha em outubro do ano passado, mostram que a nova abordagem reduziu em 39% o risco de mulheres morrerem da doença.

A organização Cancer Research UK, que financiou a pesquisa, classificou os resultados como "notáveis". O tratamento já vem sendo aplicado em pacientes com doença.

 “Essa é uma excelente notícia porque enquanto surgiam novas terapias para tratar diversas neoplasias malignas, o tratamento de câncer de colo de útero não apresenta avanços já há algum tempo. E o desenvolvimento dessa nova solução desponta como uma esperança para milhares de mulheres que enfrentam essa doença e para nós, médicos, que poderemos contar com uma terapia mais avançada e comprovadamente mais eficaz”, afirmou a médica oncologista Virgínia Altoé Sessa.

 HPV pode causar câncer em homens

Além de ser fator de risco para câncer de colo de útero, o HPV pode causar tumores malignos em homens, que na maioria das vezes são infectados por meio do sexo sem proteção. 

Na população masculina, os cânceres relacionados ao Papiloma Vírus são de pênis, ânus, boca e garganta.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Sem foto
Sobre o município
Ver notícias
°

Mín. ° Máx. °

° Sensação
km/h Vento
% Umidade
% (mm) Chance de chuva
21h00 Nascer do sol
21h00 Pôr do sol
Dom ° °
Seg ° °
Ter ° °
Qua ° °
Qui ° °
Atualizado às 21h00
Economia
Dólar
R$ 5,00 0,00%
Euro
R$ 5,41 +0,13%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,59%
Bitcoin
R$ 273,154,02 +1,10%
Ibovespa
129,418,73 pts -0.63%