Sábado, 20 de Abril de 2024
°C °C

Vereador nomeia a esposa para o seu gabinete em Vitória e diz que houve um equívoco

Renata Fernandes Reblin recebeu cerca de R$ 7 mil em janeiro e foi exonerada

05/03/2024 às 07h22 Atualizada em 05/03/2024 às 16h40
Por: Redação
Compartilhe:
Foto Internet - Vereador nomeou a esposa na Câmara de Vitória e voltou atrás
Foto Internet - Vereador nomeou a esposa na Câmara de Vitória e voltou atrás

Com remuneração básica de R$ 5.631,01 mais gratificações pela função, a esposa do vereador Anderson Goggi foi nomeada no gabinete do parlamentar entre dezembro e janeiro deste ano, contrariando a Lei número 6368, de setembro de 2005, que "veda ao vereador nomear cônjuge, companheiro ou parente, consanguíneo ou afim, até o segundo grau civil, para quaisquer cargos ou empregos em comissão na Câmara Municipal de Vitória".

Renata Fernandes Reblin chegou a receber o total de R$ 6.059,11 de salário e gratificação mais o tiquete alimentação de quase R$ 1 mil. Renata Fernandes teria sido contratada para cobrir as férias do titular do cargo, nomeado por Goggi, Gustavo Fernandes Coitinho. A substituição seria legal se a contratada não fosse esposa do parlamentar municipal e não recebesse salário, trabalhando a título de voluntariado.

Procurado, Goggi disse ao Portal Rede de Notícias que "houve um erro de comunicação entre o seu gabinete e a Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Vitória".

"Determinei a exoneração dela quando vimos que houve o pagamento de salário, o que é proibido por lei. Nossa intenção era apenas ter alguém de confiança no gabinete sem custos ao erário", afirmou Goggi.

Ainda de acordo com Anderson Goggi, assim que o dinheiro bateu na conta da sua esposa, foi pedido o estorno dos valores recebidos e o ressarcimento à Câmara.

"A Mesa Diretora cometeu um erro ao nomeá-la como servidora remunerada. A ideia era mantê-la como voluntária, uma pessoa de confiança na ausência do meu chefe de gabinete", afirmou o parlamentar.

A versão de Goggi tem falhas, já que para nomear uma pessoa em qualquer órgão público é preciso entregar uma série de documentos, exames médicos e até mesmo a conta bancária do futuro servidor.

Se não havia a intenção de receber salários, por que houve a entrega desta documentação, inclusive da instituição bancária onde o salário seria depositado?

Goggi disse que a entrega da documentação é de praxe e protocolar, e serviria para liberar a entrada da servidora na casa. 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
TelmaHá 1 mês Vitória Tá de micagem com a cara do povo Fala sério ??????
ROSETE EUGENIA BERGAMO GOMES Y GOMESHá 2 meses Itaguaçu ESCoisas do Brasil rsrs
Mostrar mais comentários
Sem foto
Sobre o município
Ver notícias
°

Mín. ° Máx. °

° Sensação
km/h Vento
% Umidade
% (mm) Chance de chuva
21h00 Nascer do sol
21h00 Pôr do sol
Dom ° °
Seg ° °
Ter ° °
Qua ° °
Qui ° °
Atualizado às 21h00
Economia
Dólar
R$ 5,20 +0,00%
Euro
R$ 5,55 0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,55%
Bitcoin
R$ 350,787,08 -1,21%
Ibovespa
125,124,30 pts 0.75%