Sexta, 24 de Maio de 2024
°C °C

Tráfico mata mais um em Itararé, na capital

Guerra começou depois da prisão de Marujo

11/04/2024 às 06h00 Atualizada em 11/04/2024 às 06h22
Por: Redação
Compartilhe:
Foto Alexandre Damazio - Matança não dá trégua na Grande Vitória, na interminável guerra de traficantes
Foto Alexandre Damazio - Matança não dá trégua na Grande Vitória, na interminável guerra de traficantes

Após a prisão de um dos traficantes mais procurados do Espírito Santo,  o Marujo,  as facções criminosas que mandam no Estado estão em guerra pelo controle de uma das atividades varejistas que mais lucram na terra de Ortiz.

O segundo assassinato no bairro Itararé, em Vitória, em 24 horas, mostra o descontrole da Segurança Pública e seu aparelho estatal,  inerte e incapaz de conter o avanço da violência imposto por criminosos.

Desta vez um homem morreu a tiros na Escadaria Santa Júlia, localizada no bairro Itararé, em Vitória, nesta quarta-feira (10).

O crime, que aconteceu por volta de 13h, tem ligação direta com o assassinato ocorrido na terça-feira, 9, na praça central do bairro. 

A suspeita é de que o homem morto nesta quarta-feira seja o proprietário do carro utilizado pelos suspeitos da morte de Marcos Vinícius Vieira Cravo, de 25 anos.

O jovem acabou abatido a tiros quando duas pessoas dispararam de um veículo enquanto ele estava na pracinha de Itararé. Os tiros atingiram o peito e as costas da vítima. 

O caso desta quarta-feira (10) seguirá sob investigação da Divisão Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Vitória, segundo a Polícia Civil.

“Até o momento, nenhum suspeito foi detido. O corpo da vítima foi encaminhado para o Departamento Médico Legal (DML) de Vitória, onde passará pelo processo de necropsia. Posteriormente, será liberado para os familiares”.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários