Sexta, 24 de Maio de 2024
°C °C

A Ordem não tem Dono, afirma candidato à presidência da OAB-ES

ADVOGADO ACUSA PRESIDENTE DA OAB-ES DE OMISSÃO FRENTE ÀS CAUSAS DA SOCIEDADE E DA PRÓPRIA CATEGORIA

11/05/2024 às 19h09 Atualizada em 13/05/2024 às 11h03
Por: Redação
Compartilhe:
Foto Alexandre Damazio - Bem Hur Farina vai disputar a presidência da OAB-ES
Foto Alexandre Damazio - Bem Hur Farina vai disputar a presidência da OAB-ES

Ben-Hur Farina é o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados do Espírito Santo (CAA-ES).

Critico ferrenho da gestão do atual presidente da Ordem dos Advogados do Espírito Santo (OAB-ES), José Carlos Rizk, Ben-Hur já se coloca como opção às eleições que podem dar o terceiro mandato a Rizk.

Ben-Hur recebeu nossa reportagem na pequena sala da presidência da CAA-ES, no Centro de Vitória.

Segundo Farina, a OAB-ES afastou-se da defesa das causas populares, encastelando-se na presidência sem, efetivamente, cumprir seus preceitos básicos, como a garantia das prerrogativas dos advogados.

Farina cita a tragédia de Mimoso do Sul, após a enchente que destruiu a cidade.

“A Ordem era para estar lá, ao lado do povo, orientando sobre direitos, benefícios e obrigações no pós-desastre. O presidente fez um vídeo mostrando a tragédia. Isso é populismo”, acusa.

Ainda de acordo com Ben-Hur Farina, sua candidatura é um chamado dos colegas que, segundo ele, pedem por renovação na Ordem.

“Questões como tabelas defasadas de honorários dos advogados dativos não receberam atenção. A Ordem está inerte. Na pandemia, coube à CAA-ES assistir nossos advogados, amparando até mesmo com cestas básicas. Mais uma vez a OAB-ES não agiu como deveria”, afirma.

Em suas redes sociais, Ben-Hur postou um vídeo mostrando o momento no qual foi impedido por seguranças de participar de um evento em celebração aos 91 anos da OAB, realizado por Rizk.

“Eu paguei a inscrição. Estava ali como advogado, mas não pude entrar. A Ordem não tem dono”, afirmou Farina, referindo-se a um episódio recente do embate com Rizk.

Ben-Hur também diz que Rizk trouxe uma mulher para sua vice-presidência, mas abandonou as prerrogativas das advogadas e das demais mulheres de nossa sociedade, o que seria, além de incoerência, nada mais que discurso eleitoral.

Ainda de acordo com Ben-Hur Farina, a OAB-ES precisa aproximar-se novamente dos alunos dos cursos de Direito, abrindo o diálogo entre presente e futuro.

“A missão da OAB-ES é dar norte e foco na missão dos futuros defensores de nossas leis. Capacitar, abrir oportunidades de crescimento e formação”, propõem.

 

 

 

 

 

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários