Sábado, 24 de Fevereiro de 2024
°C °C

Governo acaba com isenção de impostos sobre salários para pastores evangélicos

Regalia concedida por Bolsonaro para agradar religiosos chega ao fim e obriga o recolhimento de impostos sobre as remunerações

17/01/2024 às 13h08 Atualizada em 17/01/2024 às 13h29
Por: Redação
Compartilhe:
Assalariado igual ao trabalhador, pastor terá que contribuir
Assalariado igual ao trabalhador, pastor terá que contribuir

Os ministros de confissão religiosa, como pastores evangélicos, agora terão que contribuir com impostos incidentes sobre seus salários como qualquer cidadão trabalhador.

A decisão foi publicada pelo secretário especial da Receita Federal, Robinson Barreirinhas, que suspendeu a eficácia de uma medida do governo de Jair Bolsonaro (PL), que isentava de impostos os salários de ministros de confissão religiosa, como pastores.⁠

A benesse havia sido concedida em julho de 2022, assinada pelo então chefe da Receita, Julio Cesar Vieira Gomes. A reversão da medida foi publicada na edição desta quarta-feira 17 do Diário Oficial da União.⁠

⁠Com o fim da medida, os montantes pagos por igrejas a pastores e por entidades vocacionais aos membros da instituição voltam ser considerados uma forma de remuneração direta e, assim, sujeitos a contribuição.⁠

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Sem foto
Sobre o município
Ver notícias
°

Mín. ° Máx. °

° Sensação
km/h Vento
% Umidade
% (mm) Chance de chuva
21h00 Nascer do sol
21h00 Pôr do sol
Dom ° °
Seg ° °
Ter ° °
Qua ° °
Qui ° °
Atualizado às 21h00
Economia
Dólar
R$ 5,00 0,00%
Euro
R$ 5,41 +0,13%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,59%
Bitcoin
R$ 273,159,95 +1,10%
Ibovespa
129,418,73 pts -0.63%