Sábado, 15 de Junho de 2024
°C °C

População revoltada em Itapemirim coloca fogo em pneus em protesto contra prefeito

Sem pediatra, sem médico em todas as unidades de saúde e sem especialistas há mais de três meses

19/05/2023 às 17h13
Por: Redação
Compartilhe:
Outro motivo que levou a população a realizar a manifestação é o atraso no pagamento dos benefícios Vale Feira e Vale Gás e o cancelamento da entrega de leite aos alunos da rede pública de ensino infantil, beneficiários do programa Leite é Vida.
Outro motivo que levou a população a realizar a manifestação é o atraso no pagamento dos benefícios Vale Feira e Vale Gás e o cancelamento da entrega de leite aos alunos da rede pública de ensino infantil, beneficiários do programa Leite é Vida.

Revoltados com o descaso da prefeitura, moradores da localidade de Graúna, no município de Itapemirim, atearam fogo em pneus e fecharam um dos trechos da rodovia Safra-Marataízes, na tarde desta sexta-feira (19).

Segundo um dos manifestantes, que preferiu não se identificar, o protesto aconteceu no km 25, e tem como objetivo chamar a atenção do poder público municipal para a falta de médicos e ausência de uma série de serviços na cidade.

“Estamos sem pediatra, sem médico em todas as unidades de saúde de Itapemirim, sem médico especialista há mais de três meses. Em pleno uma epidemia de Dengue, apenas quatro agentes de endemias estão trabalhando em um município que tem cerca de 30 mil imóveis”, explicou uma das moradoras.

Outro motivo que levou a população a realizar a manifestação é o atraso no pagamento dos benefícios Vale Feira e Vale Gás e o cancelamento da entrega de leite aos alunos da rede pública de ensino infantil, beneficiários do programa Leite é Vida.

“Os benefícios estão há mais de cinco meses atrasados. O Leite é Vida, oferecido pela Secretaria de Educação, desde o ano passado não entregam. Semana passada ficou mais de uma semana sem coleta de lixo. Eles alegaram que não tinham combustível”, denuncia a moradora.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários