Sábado, 24 de Fevereiro de 2024
°C °C

Adolescente obeso mais propenso a ter doença renal crônica

Pesquisa mostra que peso e saúde dos rins estão intimamente ligados

16/01/2024 às 08h41 Atualizada em 16/01/2024 às 09h04
Por: Redação
Compartilhe:
Excesso de peso em jovens pode gerar complicações renais na vida adulta
Excesso de peso em jovens pode gerar complicações renais na vida adulta

A obesidade na adolescência é um grave fator de risco para o desenvolvimento de doença renal crônica nos primeiros anos da vida adulta.

É o que revelou um estudo feito por pesquisadores israelenses publicado no Journal of American Medical Association (Jama).

Após acompanharem 600 mil pacientes, os pesquisadores descobriram que um índice de massa corporal (IMC) alto está associado a até cinco vezes mais comprometimento dos rins ainda antes dos 30 anos.

Foram incluídos adolescentes e jovens com idades entre 16 e 20 anos sem doenças renais prévias. O acompanhamento começou ainda no ano 2000 e terminou apenas em 2020. Em uma média de 13 anos, quase 2 mil (0,3%) dos participantes desenvolveram doença renal crônica.

“Em adultos obesos, já se sabe que eles podem ter doenças crônicas agravadas pelo excesso de peso, e agora a pesquisa vem mostrar que isso pode começar a se desenvolver ainda na adolescência, o que torna a obesidade ainda mais preocupante”, avaliou o cirurgião do aparelho digestivo Gibran Sassine.

O médico apontou alguns fatores que podem associar o excesso de gordura corporal a problemas renais.

“Um dos fatores de risco é o padrão alimentar. Uma dieta inadequada, rica em açúcar, sódio, gordura e carboidratos contribui para o excesso de peso e, quando ocorre a obesidade, os rins precisam trabalhar de maneira mais intensa devido ao alto índice de massa corporal. E isso acaba sobrecarregando o órgão, provocando doenças renais”, explicou.

Médico Gibran Sassine faz alerta para uma vida mais saudável 

 

Sassine ressaltou que a obesidade é uma condição que favorece o surgimento ou o agravamento de diversas outras doenças, como as cardiovasculares, diabetes, hipertensão e diferentes tipos de câncer.

“Quando o excesso de peso se manifesta na infância e na adolescência, maiores são as chances de se ter uma série de doenças na fase adulta, sem falar nos impactos psicológicos que a obesidade traz”.

O cirurgião destacou, ainda, que sedentarismo e alimentação inadequada são os principais fatores de risco, e devem ser combatidos tanto para prevenir quanto para tratar a obesidade.

“Pais e responsáveis não devem normalizar obesidade nos filhos crianças e adolescentes. Existe tratamento e deve ser feito o quanto antes para que esse paciente não desenvolva outras patologias ao longo da vida”, recomendou o médico.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Sem foto
Sobre o município
Ver notícias
°

Mín. ° Máx. °

° Sensação
km/h Vento
% Umidade
% (mm) Chance de chuva
21h00 Nascer do sol
21h00 Pôr do sol
Dom ° °
Seg ° °
Ter ° °
Qua ° °
Qui ° °
Atualizado às 21h00
Economia
Dólar
R$ 5,00 0,00%
Euro
R$ 5,41 +0,13%
Peso Argentino
R$ 0,01 -0,59%
Bitcoin
R$ 273,159,95 +1,10%
Ibovespa
129,418,73 pts -0.63%